SERTÃ/Covid-19: Junta de Freguesia enaltece redes de apoio nas aldeias

A Junta de Freguesia da Sertã “tenta estar ao lado de quem necessita e sempre que há conhecimento de uma situação de necessidade a junta atua”, garante o presidente José Nunes.

SERTÃ/Covid-19: Junta de Freguesia enaltece redes de apoio nas aldeias

Com tendência a aligeirar um pouco, a situação da pandemia em Portugal ainda é e será muito preocupante nas próximas semana. Essa preocupação reflete-se também no concelho da Sertã onde os casos ativos variam de dia para dia, mas estão com uma tendência decrescente.
Neste novo confinamento são muitos os serviços que estão a funcionar mas com regras mais apertadas. É o caso da junta de freguesia da Sertã. José Nunes, presidente desta autarquia explica à Rádio Condestável e ao programa “Todos juntos no combate à pandemia”, as medidas que esta edilidade tem adotado internamente e que se baseiam essencialmente no uso de máscara, medição da temperatura, distanciamento social e higienização das mãos, quer dos funcionários, quer dos fregueses que ali vão tratar de algum serviço.
Quanto à comunidade, a Junta de Freguesia da Sertã “tenta estar ao lado de quem necessita e sempre que há conhecimento de uma situação de necessidade a junta atua”, como sendo ao nível de entrega de medicação “que vamos buscar às farmácias e alimentos que vamos buscar aos supermercados”, exemplifica José Nunes.
A solidariedade também tem sido um fator de realçar nesta pandemia e o presidente da junta reconhece que “felizmente as pessoas têm vizinhos e amigos que vão ajudando e é essa rede que eu também quero que não se quebre”, disse, ciente de que “só quando alguém não tem forma de ajuda é que recorre aos nossos serviços”. As coletividades são um elo de ligação por excelência entre o poder autárquico e a população. O serviço é ainda de maior proximidade e a rede existente entre várias entidades concelhias funciona bem, explica ainda o autarca, falando das autarquias (juntas e câmara), associações, paróquia, cáritas e GNR. “Temos uma rede que funciona bem”, garante Ciente de que esta situação não se resolverá tão depressa como o desejável, José Nunes, apela a que todos cumpram as orientações da Direção Geral de Saúde.

Artigos Relacionados

Partilhar: