SERTÃ/Covid-19: Junta do Castelo sempre pronta no auxílio à população

Máscaras de proteção individual e transporte para ir levar a vacina são disponibilizados sempre que for solicitado.

SERTÃ/Covid-19: Junta do Castelo sempre pronta no auxílio à população

Elementos de proximidade, as juntas de freguesia são um dos braços direitos da população quando esta precisa. No Castelo, freguesia do concelho da Sertã, em tempos de pandemia, houve a preocupação de consciencializar as pessoas para a importância do uso de equipamentos de proteção individual, como por exemplo as máscaras. Ao programa da Rádio Condestável “Todos juntos no combate à pandemia”, Carlos Lopes, presidente da junta, confirma que “desde há muito tempo que estamos a dar máscaras às pessoas que necessitem e continuamos a fazê-lo. As pessoas vão à junta e nós damos, além de distribuirmos também pelas casas”. Uma dessas ações de distribuição aconteceu por altura do Natal de 2020. No entender do autarca “quanto mais as pessoas se protegerem melhor será. Se não tiverem máscara contaminam-se mais facilmente”, disse.
Além desta iniciativa, agora com a vacinação contra a Covid-19 em marcha, a edilidade disponibiliza transporte a quem necessitar de ser vacinado. Por enquanto as solicitações “não têm sido muitas porque o processo começou há pouco. Ainda só tivemos uns três pedidos”, confirma, explicando que  há situações em que a família faz esse transporte.
Tal como a restante população nacional e mesmo mundial, na freguesia do Castelo vive-se com alguma preocupação. O vírus é desconhecido e imprevisível e “isto (pandemia) não estava no horizonte desta gente e não está fácil de combater”, atesta.

A pandemia trouxe o encerramento de muitos serviços, inclusivamente dos cafés, onde as pessoas passavam um pouco do seu tempo, das igrejas e “agora não se podem juntar nem ir à missa e tudo isso obriga a um isolamento das pessoas que não é nada bom”, sustenta o autarca. Também o Centro de Dia teve que fechar portas e, “a maior parte dos idosos estão sozinhos” por isso, Carlos Lopes teme pela saúde mental dos seus fregueses. “Quando as pessoas estão muito tempo paradas, sem atividade, ficam muito tempo a pensar no mesmo e acabam por adoecer mais facilmente”, explica, dando conta que na sua freguesia, “algumas pessoas do Centro de Dia que, por estarem em casa e isoladas, faleceram. O isolamento não é bom para ninguém”, vinca.
A terminar, o presidente deixa uma mensagem de esperança e de paciência até porque “o sol há-de brilhar novamente”, reforça.
Carlos Lopes aproveitou a oportunidade para desejar as melhoras a todos os que estão doentes e aos que não estão apelou a que se protejam o melhor possível.
O "Todos juntos no combate à pandemia" é um programa que conta com o apoio do Município da Sertã.

Artigos Relacionados

Partilhar: