SERTÃ/Covid-19: Município garante atividades desportivas pela internet

Por natureza, o desporto é uma atividade de convívio e a pandemia veio trocar as voltas, neste caso, aos bons hábitos enraizados na população da Sertã. A prática regular deixou de se fazer e houve necessidade de encontrar novas formas e meios de colocar as pessoas a praticar desporto.

SERTÃ/Covid-19: Município garante atividades desportivas pela internet

A pandemia veio impor uma mudança na forma como são dadas as aulas e como é feito o acompanhamento das pessoas, começa pelo recordar Paulo Farinha Luís, responsável pela área do desporto na Câmara Municipal de Sertã.
Ao programa da Rádio Condestável e que conta com o apoio do Município da Sertã, “Todos juntos no combate à pandemia”, Paulo Luís, lembra que, para colmatar a falta de atividades desportivas e, neste caso, as aulas no ginásio, os professores e monitores realizaram vídeos que ficaram e ainda ficam disponíveis na internet. Através deste meio qualquer um pode praticar os exercícios explicados. No entanto, os professores também estão disponíveis para fazer uma “acompanhamento personalizado por telefone. Sabemos que não é a mesma coisa mas é um complemento, para que o impacto se sinta o menos possível”, explica, realçando o papel que toda a equipa de desporto tem estado a desempenhar nestes tempos de pandemia, demonstrando que está sempre ao lado das pessoas.
É sabido que nem toda a gente tem acesso à internet e neste modelo de aulas, algumas pessoas ficam fora deste plano, deste modo, “esta pandemia cria uma desigualdade maior ainda do que aquela que existia no acesso a diversas ações”, analisa, consciente de que “praticar desporto sozinho também não traz muito conforto”.

Sobre o que não é possível praticar, “custa-nos porque se não conseguirmos fazer a nossa função ficamos tristes”, confirma, lembrando que, além do ginásio, há outros espaços onde se praticava desporto coletivo e que têm que estar fechados, como por exemplo o Pavilhão Desportivo e assim “também os clubes estão com as atividades reduzidas”, adianta. “Vivemos com tristeza e fazendo o que conseguimos”, sublinha e atenuar diferenças, considera, “é difícil até estarmos de novo todos juntos, mesmo com algumas limitações”. Paulo Luís lembra a época de verão, no último confinamento, em que se optou por aulas presenciais mas ao ar livre e “notou-se a vontade das pessoas. Estavam felizes, porque sentiam que a saúde também melhorava. Não era preciso as pessoas dizerem que estavam bem, notava-se”, sublinha.
Estar confinado a quatro paredes, como mandam as orientações da Direção-Geral de Saúde é um processo complicado e Paulo Luís sabe bem do que fala, até porque também sofreu da doença, tendo estado 22 dias em casa, fechado e isolado dos seus. “Sentir a solidão tendo pessoas ao lado é duríssimo e quando saímos, a alegria de poder voltar a respirar ao ar livre é indescritível e era isso que eu via nas pessoas”, ilustrou.
No Município da Sertã há três formas de desporto: o de competição, virado para a promoção do concelho, que parou. O responsável dá o exemplo do Campeonato do Mundo de Pesca Desportiva Embarcada que “não sabemos se vamos ter”. Na formação com o futebol em que “os clubes também registaram surtos e esse parou quase todo, tal como o atletismo ou a natação”. O desporto é saúde e “perder essa atividade regular é complicado pois sabemos que faz bem às pessoas”, reafirma, na expetativa de que “com a vontade das pessoas, devagar se chegará à parte da convivência”, diz, mostrando-se otimista quanto ao ultrapassar desta situação.
O concelho da Sertã estava a dar cartas em alguns setores, como o atletismo e a natação. Quando tudo recomeçar, “teremos que pedalar forte para voltar ao nível em que estávamos. Será como começar um projeto do zero”, refere, garantindo que a “equipa do desporto está disponível para continuar a ajudar”.
Recorde-se que o plano de desconfinamento anunciado pelo Governo indica que a partir de 3 de maio todas as modalidades desportivas, a atividade desportiva ao ar livre e os ginásios voltam a não ter restrições.

Artigos Relacionados

Partilhar: