SERTÃ/Covid-19: No Cabeçudo aguarda-se que a vacinação traga o descanso merecido

A pandemia da Covid-19 foi um desastre para o país e para o mundo. Afetou a economia global e mexeu com muitos setores da sociedade, considera Ramiro Silva, presidente da Junta de Freguesia do Cabeçudo, concelho da Sertã.

SERTÃ/Covid-19: No Cabeçudo aguarda-se que a vacinação traga o descanso merecido

Esta situação “fora do normal”, como a define no programa da Rádio Condestável “Todos juntos no combate à pandemia”, obrigou a que tudo se alterasse e que a solidariedade falasse mais alto.
Numa junta de freguesia com poucas posses, pouco se pode fazer para amparar os mais necessitados. Ainda assim, esta edilidade esteve e ainda está ao lado da população, nesta altura, “garantindo, a todos, transporte para a vacinação. Não queremos que ninguém fique por levar a vacina por falta de transporte”, sustenta o autarca.
Ramiro Silva confessa ao programa apoiado pelo Município da Sertã, que gostava de dar mais à população mas, dentro do que é possível, a junta tem respondido às solicitações das pessoas.
A freguesia do Cabeçudo foi uma das que mais sofreu com casos de Covid-19. A consequência foi um maior isolamento das pessoas. “Sentiam-se retraídas e ninguém sabe onde está o mal. Andamos assustados uns com os outros”, ilustra esperando que a vacinação tenha a eficácia que tem vindo a ser noticiada e que “isso ajude ao regresso à normalidade”.
Nos primeiros meses do ano o aumento substancial de casos despoletou medo nas pessoas e “elas sentiram-se assustadas”, disse. Agora que a situação está a ficar, aparentemente melhor, a mensagem é para que se continuem a ter os cuidados necessários para que a situação não se descontrole de novo. “Não devemos pensar que isto já passou, temos que ter todas as cautelas”, explica, dizendo que é também isso “que tento também transmitir às pessoas da minha freguesia”. “Temos que ter força de fé e com ajuda de todos espera-se que o pior estará ultrapassado”, vinca.

Artigos Relacionados

Partilhar: