SERTÃ/Covid-19: UFCBNP ao lado da população desde o início da pandemia

Juntas e uniões de freguesia têm estado ao lado da população no apoio em tempo de pandemia. Hoje damos a conhecer, no "Todos juntos no combate à pandemia", o exemplo da União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais.

 SERTÃ/Covid-19: UFCBNP ao lado da população desde o início da pandemia

A obrigatoriedade de ficar em casa acontece pela segunda vez neste tempo de pandemia. Principalmente os mais velhos são aconselhados a ficar em casa e, assim sendo, há necessidade de serem apoiados mais proximamente.
Neste processo, na linha da frente, estiveram e ainda estão as autarquias e, por serem mais próximas, as juntas de freguesia. Desde o início desta pandemia que a União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais tem estado ao lado dos mais vulneráveis dando-lhes a conhecer as normas em vigor, aconselhando-os nas suas atitudes e levando-lhes os bens que necessitam, superando assim algumas das necessidades que sentem, como recorda ao programa da Rádio Condestável, que conta com o apoio do Município da Sertã, “Todos juntos no combate à pandemia”, Filomena Bernardo, presidente desta união de freguesias. “Durante os três primeiros meses de confinamento criámos um grupo de voluntários e se não chegámos a todos, pelo menos tentámos”, recorda, ciente de que foi, e está a ser feito um bom trabalho no apoio à população, no que diz respeito à entrega de bens de primeira necessidade, medicamentos, pagamento de serviços.
Solidário por natureza, o país mobilizou-se no apoio aos mais fracos. Em Cernache do Bonjardim, houve jovens a voluntariarem-se para ajudar, empresas a dar o seu contributo para suprir necessidades, particulares que estavam em lay off que se disponibilizaram para apoiar. Passou o tempo pior e neste, o trabalho de interajuda “foi quase perfeito”, relembra, dando nota de que mesmo no verão e com a falta de transportes, “a pedido, vamos sempre colmatando essas falhas”. Mas esse tempo de confinamento regressou com o início de 2021, regressando igualmente a necessidade de voltar “a chamar o grupo de voluntários e fazer, de novo, um serviço mais apertado e constante para evitar que as pessoas saiam de casa”, enquadrou a autarca. A rede está montada e será mais fácil regressar ao terreno, acredita Filomena Bernardo, lançando um novo apelo a todos os que precisam pois “têm os nossos contactos e podem ligar e pedir o que precisam e, de uma forma ou de outra, chegamos lá”, garante.

A União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais nunca ficou parada no apoio à população. O Natal, época por si só de família, teve em 2020 uma vivência atípica e foram muitos a sentir falta do aconchego e carinho familiares. Atenta a esta situação, esta edilidade desenvolveu algumas iniciativas com o intuito de levar um pouco de calor aos mais velhos. Levou-se companhia, música e bolinhos feitos pela comunidade aos que estavam sozinhos, mais distantes. A ideia foi dos voluntários e a entrega de enaltecer. “Vimos situações muito tristes, não de necessidade ou caridade mas de solidão e de tristeza, porque muitos iam passar o Natal sozinhos”, recorda, mas com esta iniciativa, “estou ciente de que espalhámos alegria por muitos lares”, refere.
O país vive atualmente um segundo confinamento. As regras são praticamente as mesmas do primeiro mas a atuação das pessoas é bastante diferente. Filomena Bernardo sente que em 2020 “havia o medo do desconhecido. Algumas nem se queriam chegar ao pé de nós, não vinham à Vila, mas aos poucos foram-se relaxando”, diz.
As imagens que nos chegam do país são agora semelhantes àquelas que, em 2020 nos chegavam de países tão próximos como França e Itália, esses que tanto alertaram Portugal para se preparar. Cabe agora, a cada um de nós, fazer definitivamente a sua parte e cumprir as regras impostas pelo Governo e pela Direção Geral de Saúde, apela Filomena Bernardo.

Artigos Relacionados

Partilhar: