SERTÃ/Pedrógão Pequeno: SFAP pede mais alunos para escola de música

Tradição do convívio do Borrego voltou a cumprir-se.

SERTÃ/Pedrógão Pequeno: SFAP pede mais alunos para escola de música

A Sociedade Filarmónica Aurora Pedroguense (SFAP) continua a manter a tradição, a cada dia 1 de novembro, realizando o convívio do Borrego. Trata-se de um almoço que, no passado, assinalava o final da época de festas.
Este ano o convívio em causa ficou marcado pelo apelo, por parte do presidente da SFAP, por querer “angariar músicos para a escola de música”. " É importante e urgente” que tal aconteça, tal como “é importante ajudarmo-nos uns aos outros” e mesmo que os alunos, devido às suas vidas profissionais e pessoais, venham menos vezes, “é importante que venham”, para que as fileiras da filarmónica não fiquem desertas, disse, acrescentando que “o futuro desta coletividade será o que cada um quiser que seja”.
Este ano as platinas foram colocadas apenas em Daniel Arnauth, o único músico que entrou para a banda, em 2020.

Presente neste ato esteve o presidente da Câmara Municipal da Sertã, Carlos Miranda, que realçou a importância desta e de todas as coletividades “por causa da sua função cultural e social e porque são verdadeiramente a alma das nossas terras”, definiu, desejando que “este almoço seja o início de uma nova etapa para a instituição”.
Apesar deste momento que a filarmónica atravessa, mas aproveitando a presença de Carlos Miranda, Manuel Dias aproveitou para pedir “um espaço multiusos em Pedrógão Pequeno para a filarmónica e o rancho poderem desenvolver as suas atividades no inverno", apontando como possível solução, o espaço do polidesportivo, à entrada da Vila.
Pedro Cordeiro, maestro da SFAP e ligado à instituição desde 2002, também deixou o desejo que, após a pandemia, haja uma “retoma à normalidade” e que venham mais músicos para a banda.
Ontem foram ainda distinguidos como sócios beneméritos aqueles que, ao longo dos anos, têm ajudado, de forma desinteressada, esta instituição, ou seja, Celeste Rei, pela sua disponibilidade para tudo e em particular para ajudar a cozinhar o borrego, e Narciso Santos pela sua disponibilidade para transportar os alunos e músicos para onde é preciso. 
De recordar que todos os anos há uma arruada pela Vila, uma missa e um concerto protagonizado pela SFAP. O destaque do dia vai para o almoço convívio que, de acordo com a tradição, é borrego guisado com batatas.

Partilhar: