VACINAÇÃO: Task Force deverá ser extinta

Portugal atingiu os 85% de pessoas vacinadas.

VACINAÇÃO: Task Force deverá ser extinta

O Governo deverá anunciar, na manhã desta terça-feira, a extinção da task force da vacinação contra a Covid-19. Segundo o jornal Observador, que avança a notícia, o planeamento dos centros de vacinação já não será liderado pelo vice-almirante Henrique Gouveia e Melo e vai ficar a cargo de um pequeno grupo de militares.
O país está próximo de atingir os 85% da população totalmente vacinada, a referência definida pelo Governo para avançar para esta terceira etapa do plano de alívio das restrições impostas para controlar a pandemia, que entram em vigor a 1 de outubro.
Apesar desta extinção, os centros de vacinação continuarão ativos pelo menos até ao fim do ano, sendo que o seu planeamento vai permanecer nas mãos de um pequeno grupo de militares, com oito a nove pessoas, mas já não será liderado pelo vice-almirante Henrique Gouveia e Melo.
Nos centros de vacinação, vai continuar a administração de doses a quem ainda não compareceu para concluir o esquema vacinal (pessoas recuperadas ou que ainda não tomaram a segunda inoculação), para administrar a terceira dose às pessoas elegíveis para tal e para acelerar o esforço de vacinação contra a gripe neste outono e inverno.
O futuro dos centros fica em aberto a partir do fim deste ano, altura em que as autoridades de saúde tencionam já ter terminado o processo de vacinação contra a Covid-19 e contra a gripe em Portugal. Portugal ainda não atingiu a cobertura vacinal de 85% e só o deverá fazer mesmo no fim de setembro (pelo que esse não será um dos tópicos abordados pelo Governo no encontro de terça-feira) e iniciou esta segunda-feira a vacinação contra a gripe.
Sobre a administração da terceira dose às pessoas elegíveis para receberem o reforço, a possibilidade de auto-agendamento não estará disponível: os utentes serão convocados por telefonema, mensagem ou carta. Quanto à vacinação contra a gripe, ela continuará a ocorrer também nos centros de saúde e nas farmácias, mas também vai ser garantida nos centros Covid-19 “em breve”.

Partilhar: