VILA DE REI: Utilizadores satisfeitos com praias fluviais do concelho

Os resultados mostram que a grande maioria dos utilizadores das zonas balneares vilarregenses se encontram satisfeitos com a qualidade das mesmas.

VILA DE REI: Utilizadores satisfeitos com praias fluviais do concelho

Já são conhecidos os resultados do inquérito de satisfação realizado à comunidade sobre as praias fluviais do concelho, o inquérito foi realizado pelo Município de Vila de Rei nos meses de dezembro e janeiro, “de forma a poder melhorar continuamente o serviço que presta nas diversas zonas balneares do concelho”, lê-se numa nota à comunicação social.
Os resultados mostram que a grande maioria dos utilizadores das zonas balneares vilarregenses se encontram satisfeitos com a qualidade das mesmas. Assim, e como dá conta a autarquia vilarregense, no ‘Nível Global de Satisfação’, 91,54% das pessoas que responderam ao inquérito mostraram-se ‘Satisfeitas’ e ‘Muito Satisfeitas’. No separador ‘Qualidade como Destino de Férias’, 80,85% das pessoas classificaram Vila de Rei com um destino ‘Bom’ e ‘Muito Bom’. 87,6% dos utilizadores garantem ainda que irão regressar na época balnear de 2021.
Quanto à área de residência dos veraneantes, 35,82% estava fixada no Concelho de Vila de Rei enquanto que 64,18% eram turistas que visitavam o Concelho. A Praia Fluvial de Fernandaires é a favorita dos utilizadores, com 43,56%, seguindo-se a Praia Fluvial do Penedo Furado, com 24,75%, e a Praia Fluvial do Bostelim, com 18,81%.
40,2% dos utilizadores referiram ainda ter utilizado a app InfoPraia para saber informações sobre as praias a frequentar, nomeadamente a taxa de ocupação.
O Presidente do Município de Vila de Rei, Ricardo Aires, refere que “os resultados do inquérito realizado foram bastante positivos e permite-nos ter uma real opinião dos utilizadores e detetar oportunidades de melhoria. Todas as sugestões indicadas vão ser tidas em conta e esperemos continuar a melhorar e a oferecer as melhores condições possíveis a todos os que visitam as nossas zonas balneares”.
Os dados foram recolhidos através de um inquérito online, disponibilizado no website do Município durante dois meses, que contou com 202 participações.

Partilhar: