VILA VELHA DE RÓDÃO: Arte e natureza em destaque na residência artística

Crianças foram sensibilizadas para a temática.

VILA VELHA DE RÓDÃO: Arte e natureza em destaque na residência artística

A artista e educadora Marina Palácio esteve em Vila Velha de Ródão entre 26 e 30 de abril, para a realização de uma residência artística no Jardim de Infância do Porto (JI) do Tejo. Intitulada “Diálogos para amar livros, lobos, pássaros, árvores e silêncio – Livro Solar”, a iniciativa integra o projeto Dias de Saber, promovido pela Biblioteca Municipal José Baptista Martins, recorda a Câmara de Ródão em nota enviada à comunicação social.
Marcada pela dimensão imaginativa e ética, a residência artística no JI do Porto do Tejo dividiu-se em três oficinas, que procuraram educar para a arte e a natureza, com os livros a ocuparem um lugar central.
Assim, e como descreve ainda a autarquia, a primeira oficina começou por oferecer às crianças a possibilidade de se tornarem “Pequenos Jardineiros da Madrugada”, desafio que as levou a andarem pelo deserto na companhia de uma ovelha, a imaginarem-se abelhas a polinizar e a desenharem as árvores da sua imaginação.
Na segunda oficina, “através da observação e escuta numa paisagem, que também se quer rica na prática do silêncio (e dos micro-silêncios), como é em movimento e biodiversidade, os pequenos jardineiros estiveram em constante diálogo com as diferentes formas de vida, florescendo para uma melhor sintonia com o meio ambiente natural e humano”, como explicou Marina Palácio.
Esta ação promoveu a literacia natural, “tão importante no equilíbrio da estruturação emocional/corporal e para um melhor entendimento futuro das aprendizagens formais”, e criou possibilidades de vivências ao ar livre, promotoras de diálogos de dentro para fora, procurando desenvolver o gosto pelo registo em cadernos de campo, em tom poético e imagético, como o da poeta e diarista Maria Gabriela Llansol, cuja frase “sempre que sei, não escondo” inspira esta 2.ª edição dos Dias de Saber.
Por fim, a terceira oficina inspirou-se na missão assumida por Marina Palácio de “aprender com a natureza” e visou envolver as crianças num registo de cocriação, que elas sentissem como estruturante, alegre, e com sentido para toda a sua vida. A atividade resultou num momento de convívio e alegria, que incluiu a plantação de violetas em vasos para as crianças oferecerem às suas mães no Dia da Mãe.
Tal como preconiza esta segunda edição dos Dias de Saber, que se assume como um projeto colaborativo, esta residência artística contou com o apoio de diversos serviços do Município e da comunidade educativa do JI do Porto do Tejo.

Partilhar: