VILA VELHA DE RÓDÃO: Câmara entrega primeiras moradias da Quinta da Torre Velha

Assinatura de quatro escrituras aconteceu recentemente.

VILA VELHA DE RÓDÃO: Câmara entrega primeiras moradias da Quinta da Torre Velha

A Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão deu formalmente início na passada quinta-feira, ao processo de venda das moradias da Quinta da Torre Velha, na sede de concelho. De acordo com a edilidade, foram assinadas quatro escrituras de compra e venda relativas a este complexo habitacional construído pela autarquia para “reforçar a capacidade de oferta do parque habitacional do concelho e dar resposta às crescentes solicitações por partes das famílias e jovens que nele se pretendem fixar”, recorda a autarquia. Este ato representa assim, e ainda de acordo com a autarquia de Ródão, “o culminar deste projeto prioritário para a autarquia”, num “investimento estratégico e de extrema importância, que vem dar resposta a um dos principais problemas do nosso concelho e que é o da falta de um parque habitacional que dê resposta à procura crescente e incentive a fixação de jovens e famílias no nosso território”, explica Luís Pereira, presidente do Município local. Ao mesmo tempo, esta iniciativa “contribuiu para recuperar e dar uma nova vitalidade a uma zona antiga e histórica da vila, que se encontrava com um aspeto degradado, o que só nos pode deixar extramente satisfeitos”, destacou ainda o presidente.
Constituído por 18 moradias, quatro de tipologia T2 e catorze de tipologia T3, o complexo habitacional da Quinta da Torre Velha representou o maior investimento de sempre do município com recurso a fundos próprios e procurou assegurar o acesso à habitação àqueles que normalmente têm mais dificuldade em conseguir uma habitação condigna.
Recorde-se que estes imóveis foram colocados à venda a preços controlados de 80 mil euros e 66 mil euros, conforme se tratasse de moradias com a tipologia T3 ou T2, o que correspondeu ao valor de construção dos mesmos, excluindo os montantes suportados com obras de urbanização, projetos, terrenos e outros. Para hierarquizar os concorrentes e garantir o acesso à habitação àqueles que mais necessidade têm e se pretendam fixar no concelho, foi criado um conjunto de critérios de apreciação das candidaturas, que decorreram em julho e agosto.
Apesar do número de candidatos exceder as habitações disponibilizadas, os critérios de atribuição definidos levaram a que fossem atribuídas apenas 17 das 18 moradias, encontrando-se a decorrer até ao final do mês de janeiro uma nova candidatura para a atribuição do imóvel que não foi entregue nesta primeira fase e cujas normas estão disponíveis no site do município (www.cm-vvrodao.pt).

Partilhar: