VILA VELHA DE RÓDÃO: Câmara quer travar definitivamente incumprimentos ambientais

Bioenergy, antiga Centroliva de novo em destaque.

VILA VELHA DE RÓDÃO: Câmara quer travar definitivamente incumprimentos ambientais

A novela dos incumprimentos da Central Termoelétrica Centroliva em Vila Velha de Ródão continua a ter novos episódios. Esta sexta-feira, 4 de junho, o Secretário de Estado Adjunto e da Energia João Galamba esteve em Vila Velha de Ródão para reunir com o presidente da câmara, presidente da Assembleia Municipal e presidente da junta de freguesia para ouvir, no local, as queixas dos autarcas.
Este é um processo que se arrasta desde 2011 e que, de estratagema em estratagema tem feito com que a empresa vá laborando mas devia estar parada. “Está a receber matéria prima, está a produzir energia e muito provavelmente a ser suportada pelo erário público”, disse o presidente da câmara Luís Pereira, explicando que “começámos a dar conta há duas semanas e reportámos de imediato a situação ao Diretor Geral de Energia e estamos a aguardar uma resposta até hoje”.
João Galamba, Secretário de Estado Adjunto e da Energia, veio confirmar que a empresa tem a licença suspensa embora tenha sido autorizada a laborar apenas para reduzir a carga de material inflamável que tem em seu redor, no entanto, “foi-nos reportado hoje pela câmara que a empresa está a aumentar o material inflamável e a criar deliberadamente a situação de risco que se visava colmatar. Perante a denúncia da câmara iremos tomar as devidas diligências”, garantiu.
Recorde-se que a empresa deveria estar parada por causa do “risco de incêndio e parecer da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (AENPC)”, explicou o governante.
Luís Pereira lembrou ainda que a empresa nunca respeitou as normas de segurança em vigor criando, como disse um “problema acrescido para a população e para os próprios trabalhadores”, isto porque a empresa “não tem sistema de deteção de risco de incêndio nem medidas de autoproteção aprovadas pela ANEPC, mesmo depois da inspeção que aconteceu a empresa não licenciou as suas instalações”, explicou o autarca, mostrando-se intransigente em relação a esta situação.

Partilhar: